AS VANGUARDAS ARTÍSTICAS DA 1.ª METADE DO SÉCULO XX

Um pequeno exercício:

1. Lê atentamente, as fontes 1 a 10.

1.1.  Atribui um título a cada uma das fontes, inserindo-as numa das vanguardas artísticas que estudaste.

1.2.  Justifica a tua opção.

 Fonte 1

«Fui seduzido pela cor. (…) As cores tornaram-se dinamite. Elas são detonadas pela luz.» (André Derain, 1903)

André Derain, Porto de Pesca (1905)

Fonte 2

«Apenas o desejo inexplicável de captar aquilo que vi e senti e de encontrar a expressão mais pura para isso.» (Karl Schmidt-Rottluff, 1910)

Max Pechstein, Três nus numa paisagem, 1911

Fonte 3

«O nome, nós o achámos quando estávamos sentados numa mesa de um café de Sindelsdorf; ambos amávamos o azul, (Franz) Marc os cavalos e eu os cavaleiros. Assim o nome veio por si.» (Vassily Kandinsky, 1930)

Franz Marc, Grandes Cavalos Azuis, 1911

Fonte 4  

«Não se deve querer fazer uma vez mais aquilo que a natureza já fez perfeito. Não se deve querer parecer verdadeiro pela imitação das coisas que são transitórias e mutáveis e que nos parecem ilusoriamente imutáveis. As coisas em si não existem. Só existem através de nós (…). Os sentimentos deformam, o espírito forma. Só há certezas naquilo que o espírito engendra (…) Gosto da disciplina que corrige a emoção.» (Georges Braque)

Georges Braque, Viaduto em l'Estaque, 1908

Fonte 5

«Muitas vezes utilizei folhas de jornal para as minhas colagens a papel, mas não para fazer um jornal.» (Picasso)

Pablo Picasso, Guitarra, 1913

Fonte 6

«A obra de arte reflete-se à superfície da consciência. Ela encontra-se “mais longe” (…) Há ali também como o vidro transparente, mas duro e rígido, que impede todo o contacto direto e íntimo. Lá, ainda, temos a possibilidade de penetrar na obra, de aí nos tornarmos ativos e de viver a sua pulsação através de todos os nossos sentidos.» (Vassily Kandinsky)

Kandinsky, Improvisação no desfiladeiro, 1914

 Fonte 7

«Para que uma arte se torne abstrata, quer dizer, para que não revele nenhuma relação com o aspeto natural das coisas reveste fundamental importância a lei da desnaturalização da natureza. Em pintura, a cor primária mais pura possível é o que produz essa abstração da cor natural.» (Piet Mondrian)

Piet Mondrian, Composição com amarelo, azul e vermelho, 1921

Fonte 8

«Apreciemos o ruído das vozes, a divisão matemática do trabalho nos laboratórios, os apitos dos comboios, a confusão das plataformas da estação e da agitação! E a velocidade! E a precisão! Apreciemos o som das sirenes (…), o som dos motores e o som incomodativo das cadeias de montagem.» (Umberto Boccioni, 1912)

Luigi Russolo, Dinamismo do Automóvel, 1913

Fonte 9

«Sentia-me livre e sentia a necessidade de gritar a minha alegria ao mundo … também é possível gritar com materiais degradados, e foi o que fiz, colando-os e pregando-os com pregos.» (Kurt Schwitters, 1919)

Marcel Duchamp, Roda de Bicicleta, 1913

Fonte 10

«Creio na futura dissolução destes aparentemente contraditórios estados de sonho e de realidade numa espécie de realidade absoluta, que se poderia dizer: sur-realité.» (André Breton, 1924)

Salvador Dalí, O Sono, 1937

Esta entrada foi publicada em Materiais didáticos com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s