Principais conflitos da Guerra Fria

A formação de dois blocos militares assentes num sistema de alianças militares, a OTAN e o Pacto de Varsóvia, delinearam uma política de blocos com um forte antagonismo entre os EUA e a URSS, um clima de Guerra Fria. Os acontecimentos que agravaram o clima de Guerra Fria foram a questão de Berlim, a guerra da Coreia, a sublevação húngara de 1956, a guerra da Indochina que, mais tarde, se desenvolveu com a guerra do Vietname, e a crise de Cuba.

O primeiro foco de tensão entre os dois blocos políticos foi a Questão de Berlim, entre 1948 e 1949, aquando da criação do Estado alemão independente pelos Aliados ocidentais (República Federal da Alemanha), devido à qual, como represália, a URSS bloqueou o acesso ao setor ocidental de Berlim, vindo a criar a Alemanha de Leste (República Democrática Alemã). Este conflito dividiu a Alemanha em duas, ficando esta política isolacionista consagrada com a construção do Muro de Berlim, em 1961.

Abastecimento por via aérea de Berlim-Oeste, cidade cercada por tropas soviéticas

A guerra da Coreia, entre 1950 e 1953, contou com a intervenção dos EUA com o objetivo de travar o avanço comunista, uma vez que a Coreia do Norte comunista havia invadido a Coreia do Sul pró-ocidental com o apoio da China. Os EUA assinaram a paz na Coreia depois de aceitarem a divisão do território em dois estados, a Coreia do Norte comunista e a Coreia do Sul pró-ocidental.

A sublevação húngara pretendeu pôr fim ao poder soviético na Hungria. Manifestações de estudantes da Universidade de Budapeste, de intelectuais e de trabalhadores exigiam eleições livres, a legalização dos partidos democráticos e a retirada das tropas soviéticas do país. O Governo tentou controlar as movimentações, mas a polícia e o exército recusaram-se a disparar. Foi pedido auxílio à URSS. Os tanques russos tentaram primeiro restabelecer a ordem sem usar as armas, mas a revolta transformou-se num confronto entre russos e húngaros. O movimento revolucionário parecia triunfante e o primeiro-ministro húngaro comunicou o abandono da Hungria do Pacto de Varsóvia e a sua neutralidade, facto que originou uma forte ofensiva soviética a este país, com a entrada de 20 mil soldados e mais de 2 mil tanques soviéticos. Os tanques soviéticos lutaram até dominar a situação. A ONU condenou a agressão, exigindo sem êxito a retirada das tropas. A sublevação húngara, foi, assim, brutalmente reprimida com a morte de milhares de pessoas, para que a situação não alastrasse a outras democracias populares.

Tanques soviéticos em Budapeste, 1956

A crise de Cuba, conhecida por Crise dos Mísseis, consistiu na colocação de mísseis soviéticos na ilha de Cuba, em 1961-1962, apontados para os EUA, fazendo sentir aos americanos a sua vulnerabilidade a um ataque nuclear. Os EUA responderam com um bloqueio naval para impedir que os navios soviéticos transportassem mísseis para Cuba. A URSS acabou por se retirar depois do compromisso americano de não invasão da ilha e da sua desistência de derrubar pela força o regime de Fidel Castro.

A guerra do Vietname, desencadeada a partir de 1965, tem as suas origens na guerra da Indochina (1954) desencadeada pelo movimento revolucionário de guerrilha, Viet Minh, liderado por Ho Chi Minh, contra os Franceses. A França saiu derrotada desta guerra e ficou decidido numa conferência internacional o futuro do território. O Vietname ficou dividido pelo paralelo 17 em dois estados: o Vietname do Norte, dirigido pelos comunistas Viet Minh e apoiado pela União Soviética e pela China, e o Vietname do Sul, de feição capitalista e apoiado pelos EUA. No entanto, as forças do Vietname do Norte pretendiam alargar o comunismo a todo o Vietname. A guerrilha organizada Vietcongue acabou por conseguir os seus intentos depois de uma longa e dura guerra travada contra as forças norte-americanas até 1973.

Todos estes acontecimentos revelam o confronto direto entre os EUA e a URSS, os quais passaram a apoiar os seus aliados em conflitos regionais, fornecendo tropas, conselheiros e material de guerra. Foi um período de luta por zonas de influência que conduziu ao chamado “equilíbrio pelo terror”.

Esta entrada foi publicada em Materiais didáticos com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

20 respostas a Principais conflitos da Guerra Fria

  1. Nanda diz:

    Muito bom. (:

  2. eliene rodrigues diz:

    guerra fria ,foi um conflito que ocorreu apenas no campo ideologico não ocorrendo um embate militar declarado e direto entre EUA e URSS.

  3. .. Gostei da forma como foi clara a retratação dos conflitos..

  4. Phabio keeps de Oliveira Sousa diz:

    A guerra Fria, foi um confronto ideológico entre as super potências EUA x URSS, formando áreas de influência e blocos diplomáticos.

  5. isaque diz:

    muito bom gosto de sites de história que apresentam uma linguagem e explicação do conteudo de forma mais casual

  6. karolina batiste diz:

    legal

  7. Lizandra Dias diz:

    Achei muito interessante o site, e a forma como organizaram o assunto… só tem um porém, devem arrumar o nome do bloco: “A formação de dois blocos militares assentes num sistema de alianças militares, a NATO e o Pacto de Varsóvia…”

    Seria OTAN e não NATO. Quem nunca teve contato com o material referente a esse assunto pode acabar se equivocando!

  8. Pingback: Geografia | hemanytestes

  9. denyse diz:

    tenho que fazer uma producao sobre guerra fria e preciso usar todos esses topicos?

  10. super ruffles diz:

    what???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s