Leonardo da Vinci

Trabalho realizado pela aluna Joana Silva do 10.º N, com a orientação do prof. José João Sousa, no âmbito da disciplina de História A – Módulo 3 – Unidade 3.

Leonardo da Vinci (1452-1519)

Leonardo da Vinci, nascido a 15 de Abril de 1452, em Anchiano, na pequena cidade de Vinci, pertencente à região de Florença (Itália), é considerado um dos maiores génios de sempre, pois desenvolveu as suas capacidades em inúmeras actividades, tais como a matemática, a física, a astronomia, a engenharia, a ciência, a botânica, a anatomia, a poesia, a arquitectura e a música, entre outras. No entanto, as áreas em que Leonardo mais se distinguiu foram a escultura e a pintura, chegando mesmo a ser considerado um dos maiores artistas do Renascimento italiano.

Este prodígio nasceu como fruto de uma relação extraconjugal entre o notário Piero Fruosino di Antonio da Vinci e Caterina, uma simples camponesa, facto que confere um carácter bastardo a Leonardo. Este rapazinho, dotado de imenso talento, teve o privilégio de ser educado pelo grande mestre Verrocchio, tendo começado, aos catorze anos (em 1466), como aprendiz no seu ateliê. Desde cedo que o jovem artista teve a oportunidade de trabalhar com diversos materiais, como o couro e o metal, e de começar a utilizar técnicas artísticas de desenho, pintura, escultura e modelagem, oportunidades estas que foram fundamentais para a sua vida artística, pois foram-lhe ensinadas logo na juventude (quando se aprende algo em criança ou quando jovem, essa aprendizagem fica mais marcada e é mais facilmente interiorizada). Leonardo revelou-se um excelente aprendiz e, mais tarde, passou a ser assistente do seu mestre, tendo colaborado com ele em algumas obras, como por exemplo “O Baptismo de Cristo”. Há, inclusive, dados que provam que grande parte das obras produzidas no ateliê de Verrocchio eram criações dos seus funcionários. Uma vez que Verrocchio tinha Leonardo em grande consideração e reconhecia o seu enorme talento, há suposições que indicam que este seu aprendiz serviu de modelo para a estátua de bronze de “David” e para a figura do arcanjo presente na obra “Tobias e o Anjo” (ambas da autoria de Verrocchio).

Em 1472, tendo vinte anos de idade, Leonardo associou-se à Guilda de São Lucas, guilda esta que consistia numa espécie de corporação de artistas e doutores em medicina, na qual todos os membros da associação se entreajudavam perante situações de maior dificuldade. Leonardo passa, assim, a fazer parte do círculo de pintores de Florença. Foi também por volta desta altura que Leonardo conseguiu, com a ajuda do seu pai, construir o seu próprio ateliê/oficina. No entanto, continuou a estabelecer relações com Verrocchio, tendo colaborado com ele. Uma vez que Verrocchio trabalhava na corte de Lorenzo de Médici, um grande mecenas italiano, Leonardo teve a fantástica oportunidade de, através do seu mestre, mostrar as suas obras à corte do mecenas, o que lhe trouxe bastantes encomendas. É desta época que surge a primeira obra da autoria de Leonardo da Vinci, um desenho do vale do rio Arno, feito com pena e tinta e que está datado de 5 de Agosto de 1473.

Em 1482 Leonardo partiu rumo a Milão, onde viria a ficar até ao ano 1499. O motivo da sua partida está relacionado com uma lira de prata, em forma de cabeça de cavalo, que ele próprio concebeu. Esta lira foi um presente de Lorenzo de Médici para Ludovico Sforza (duque de Milão), como meio de selar a paz entre ambos. A tarefa de levar esta prenda até Milão coube a Leonardo. Foi neste período em que esteve em Milão que, a pedido da Confraria da Imaculada Conceição, pintou “Virgem dos Rochedos” e, para o mosteiro de Santa Maria delle Grazie, criou “A Última Ceia” – obra que só viria a concluir em 1497 e que seria considerada um exemplo de penetração psicológica e de subtileza de expressão.

Graças à sua ida para Milão e ao contacto com Ludovico Sforza, Leonardo passou grande parte da sua vida profissional ao serviço deste homem bastante influente e, assim sendo, trabalhou em diversos projectos para ele, entre os quais se destaca um monumento equestre em honra de Francesco Sforza (antecessor de Ludovico). Este monumento colossal era, inicialmente, feito de setenta toneladas de bronze, mas acabou por ficar inacabado e, em 1492, quando terminado, foi feito em argila. Este monumento, de nome “Gran Cavallo”, era maior que as duas únicas estátuas equestres do Renascimento.

Em 1499, aquando do início da II Guerra Italiana e das várias invasões das tropas francesas de Luís XII, deu-se a destituição de Ludovico Sforza do cargo de duque de Milão. Face à queda do seu “mentor”, Leonardo decidiu fugir, acompanhado do seu assistente Salai e do seu amigo e matemático Luca Pacioli, rumo a Veneza. Chegado a esta nova cidade, onde ficou instalado no mosteiro da Santíssima Annunziata, o artista arranjou emprego como arquitecto e engenheiro militar, sendo que muitos dos seus métodos e planos ajudaram a defender o território de um ataque naval.

Arsenal desenhado por Leonardo da Vinci (c. 1500)

No ano 1503, Leonardo regressou a Florença, tendo começado neste ano a sua mais famosa criação, a obra de arte “Mona Lisa” ou “La Gioconda” – retrato este que se supõe ter-lhe sido encomendado pelo rico comerciante florentino Francesco del Giocondo, esposo de Lisa Gherardini (a mulher representada no quadro). Em 1507, o artista terminou esta sua obra-prima, na qual exprimiu a sua técnica de sfumato sob a melhor forma de todo o seu reportório.

Em 1516, Leonardo da Vinci começou a servir Francisco I da França, rei este que lhe concedeu o solar de Clos Lucé, próximo da sua residência no castelo de Amboise. Foi lá que o génio passou os seus restantes três anos de vida, acompanhado pelo seu aprendiz e amigo, o conde Francesco Melzi, sendo que ambos eram sustentados por uma pensão anual de dez mil escudos. A 2 de Maio de 1519, Leonardo da Vinci morre, sendo o seu corpo enterrado na Capela de Saint-Hubert, no Castelo de Amboise.

Bibliografia:

Leonardo da Vinci [em linha]. 13/04/2011. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Leonardo_da_Vinci. [Acedido em 04/05/2011].

Leonardo da Vinci. In Diciopédia 2006 [DVD-ROM]. Porto: Porto Editora, 2005. ISBN: 972-0-65260-8. [Consultado em 04/05/2011].

5 respostas a Leonardo da Vinci

  1. Leonardo da Vinci era um pintor muito famoso suas obras eram lindas so que a obra que vendeu mais foi da Monalisa

  2. nathy michelly diz:

    lindas obras de leonardo da vinci

  3. gata123456 diz:

    oi adorei

  4. Pingback: Netgrafia de apoio – Trabalho do módulo 5 – A Cultura do Palácio | História da Cultura e das Artes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s